Marcas de nascença – Birthmarks

Nesse último domingo, o nosso amigo Erson apresentou um trabalho bacana a respeito de Marcas de Nascença. Baseou-se ele, entre outras fontes, nos estudos do psiquiatra canadense Dr. Ian Stevenson, falecido em 2007. Segundo relatos da espiritualidade amiga o próprio Dr. Stevenson estava presente na nossa pequena reunião em sua homenagem. Segue então para referência de todos, o material preparado pelo Erson.

Esta 8ª edição do Domingo no Parque é voltada para uma das áreas da Ciência que tem muita ligação com a prática Espírita. Focalizaremos:

  1. Homenagem ao Dr. Ian Stevenson, psiquiatra canadense
  2. Marcas de nascença
  3. Terapia de Vidas Passadas

A vontade de pesquisar e trazer este assunto a voces surgiu do descobrimento da minha marca física de nascença

Dr. Ian Stevenson

Dr Stevenson foi o fundador da moderna pesquisa científica a respeito da reencarnação e ficou conhecido por recolher e analisar meticulosamente mais de 3,000 casos de crianças as quais pareciam lembrar de vidas passadas sem o auxílio da hipnose.
Ele realizou pesquisas sobre reencarnação na África, Alasca, British Columbia, Burma, Índia, América do Sul, Líbano, Turquia e muitas outras localidades.
As crianças estudadas normalmente se lembravam de suas experiências passadas entre os 2 e 4 anos de idade, mas pareciam esquecê-las por volta dos 7 ou 8 anos.
Em seus relatos, mencionavam frequentemente terem morrido de forma violenta e, além disso, as lembranças de como haviam morrido eram aparentemente claras.
Dr. Stevenson também reuniu testemunhos e registros médicos contendo informação a respeito de sinais de nascença, defeitos de nascimento e outras evidências físicas de reencarnação.
A seu trabalho de pesquisa incluiu:
Rreencarnação
EQM – Eexperiência de Quase-Morte
Mediunidade
Xenoglossia (Espíritos comunicantes falam/escrevem em língua desconhecida dos assistentes
Problemática do relacionamento entre mente e cérebro
Continuidade da personalidade após a morte.
Estudo da memória que as crianças possuíam de vidas passadas.
Anos 50 – tornou-se pioneiro no estudo médico sobre os efeitos do LSD – a dietilamida do ácido lisérgico, uma das mais potentes substâncias alucinógenas conhecidas.
1957 – nomeado Chefe do Departamento de Psiquiatria e Ciências Neurocomportamentais da Universidade da Virgínia. A sua principal pesquisa incluí doenças psicossomáticas, compêndios sobre pacientes entrevistados e exames psiquiátricos.
1967 – nomeado Diretor do Setor de Estudos da Personalidade (posteriormente recebendo o nome de “Setor de Estudos da Percepção”) .
Suas publicações focaram as comunidades científica e acadêmica com mais de 200 artigos e vários livros.
2002 – Dr. Stevenson aposentou-se deixando o seu trabalho para sucessores, dirigidos pelo Dr. Bruce Greyson e Dr. Jim Tucker
Obras:
Twenty Cases Suggestive of Reincarnation (1966)
Cases of the Reincarnation – 10 Cases in India, (1975)
Cases of the Reincarnation – 10 Cases in Sri Lanka. (1978)
Cases of the Reincarnation – 12 Cases in Lebanon and Turkey (1980)
Cases of the Reincarnation – 12 Cases in Thailand and Burma (1983)
Unlearned Language: New Studies in Xenoglossy (1984)
Reincarnation and Biology: A Contribution to the Etiology of Birthmarks and Birth Defects – 2 volumes – (1997)
Reincarnation and Biology Intersect (1997)
Children Who Remember Previous Lives: A Quest of Reincarnation (2001)
European Cases of the Reincarnation (2003)

Tipos de Marcas de Nascença (Birthmarks)

Podem ser consideradas qualquer marca, estigma, sinal, mancha ou vermelhidão sem qualquer explicação aparente que pode ser vista na pele desde o nascimento. Alguns sinais de nascença são considerados hereditários ou congênitos, tais como:
Mancha “Café-au-lait – São planas e redondas ou ovais com um tom de cor marrom claro.
Mongol Mancha Azul – Plana azulada. Tem fronteiras onduladas e formato irregular. A cor azul é devido à presença dos melanócitos.
Mancha Vinho do Porto ou Nevo flammeus – Apenas 0.3% da populção tem essa marca causada pela ausência ou deficiência de um suprimento nervoso para os vasos sanguíneos.
Nevo melanocítico congênito – Marca situada na cabeça ou no pescoço, podendo ter tom castanho claro. A textura e forma é irregular.
Mordida da Cegonha / Beijo de Anjo ou Telangiectásica Nevus – Mancha salmão muito comum nos recém nascidos. Encontrada no joelho, testa, lábio superior, pálpebras e pescoço.
Silvermark – Traço de cor prateada que ocorre na infância. Pode ser hereditária e é normalmente encontrada na porção frontal do couro cabeludo.
Nevi pigmentado congênito – Estes são os moles de pele peludas que são encontrados no corpo. Seu tom de cor varia de marrom claro ao preto.
Hemangioma Morango – São leves inchaços avermelhadas na pele parecidos com morango. Tendem a ficar cinzento e desaparecem com a passagem do tempo.
Outras marcas de nascença podem ter sido geradas em vidas passadas a partir de tiros, facadas, lanças, espadas, golpes, pancadas, cortes, queimaduras etc.
As marcas também podem ser malformações, ausências ou deformidades nas mãos, dedos ou outras partes do corpo.
Além das marcas físicas de nascença deve-se considerar como marca o perfil de comportamento da pessoa, baseando-se nas suas atitudes e tendências aos vícios, virtudes estado psíquico (psicopatia, esquzofrenia, etc.).

Como os cientistas explicam a ocorrência de marcas de nascença?

Hoje são centenas de médicos, psiquiatras e psicoterapeutas afirmando que seus pacientes revelam que foram protagonistas de episódios ocorridos em outras vidas que não a atual.
O Dr. Morris Netherton desenvolveu em 1967 o método de Hipnose Ativa denominando “Past Life Terapy”, ou TVP (Terapia de Vivências Passadas) que hoje é adotada mundialmente, curando fobias, traumas psicológicos e muitos males de ordem psíquica, tanto em adultos quanto em crianças.
A focalização da atenção nas marcas de nascença pode evocar espontaneamente emoções, sensações e imagens de como os traumas físicos foram produzidos em vidas passadas.
Pacientes em regressão revivem existências físicas que explicam o motivo de possuírem uma marca de nascença e só após o surgimento da memória dão-se conta da “coincidência” entre o que perceberam durante a regressão e a marca que possuem. Isto provoca o alivio ou a cura do problema em tratamento.
Individualmente também podemos nos curar. Se fixarmos nossa atenção em uma marca de nascença e deixar a mente livre, podemos receber algumas impressões mais ou menos nítidas das circunstâncias geradoras da marca na existência passada.
É possível até mesmo surgirem imagens, cenas, emoções e sensações fortes relacionadas à situação que provocou a marca. Esse seria um exemplo de recordação de vidas passadas suscitado pela concentração da mente num trauma, que traz em si um histórico de quem somos.
Existe também o que alguns autores chamam de marcas de nascença kármicas, que foram geradas por um sentimento de autoculpa. Diferente das marcas provocadas por um trauma, a dinâmica psicológica da culpa de si mesmo é o fator que gera a marca de nascença kármica.

 

Como os espíritas explicam a ocorrência de marcas de nascença?

O Livro dos Espiritos nos ensina que o ser humano é composto de espírito, perispírito e corpo físico. O perispírito é preexistente e sobrevive à morte do corpo material. Ele estabelece uma espécie de ponte fluídica ente o espírito e o corpo físico, transmitindo as impressões de um para outro.
Note que os espiritos utilizaram o termo “impressão” para a relação espirito-matéria. Não há referencia direta aos termos “cicatrizes” ou “marcas ou sinais de nascença”. Isto significa que qualquer emoção forte sofrida numa encarnação o reencarnado pode trazer tanto marcas no corpo como no seu comportamento.
As marcas de nascença se formam durante a morte ou pouco tempo antes dela. Com a intensidade do trauma, o impacto da morte fica gravado no perispírito e, numa vida futura, passa a se manifestar no corpo físico.
As qualidades ou defeitos, faltas, abusos e vícios de existências passadas, registrados no perispírito, reaparecem no corpo físico como enfermidades e moléstias.
Inúmeras almas já renascem “adoecidas”, ou seja, com os componentes psíquicos enfermiços. É dessa maneira também que marcas, principalmente as que se relacionam com a ” causa mortis”, passam de uma existência para outra.
As virtudes e conhecimentos também passam de uma vida para outra, através da memória perispiritual.
A Federação Espírita Brasileira em Espiritismo de A a Z, define que a mente da gestante pode também deixar suas marcas visíveis no corpo do bebê (sinais de nascença).
Ensina a Doutrina Espírita que o esquecimento do passado é necessário para que o espírito em sua atual existência não seja sobrecarregado com as lembranças e emoções de outras vidas.
Todavia, o “Livro dos Espíritos” nos diz que é possível lembrar de existências anteriores, quando há um motivo útil e quando os espíritos superiores aprovam.
Por isso, alguns estudiosos espíritas afirmam que a TVP não é uma brincadeira, mas uma técnica séria e que deve, portanto, ser procurada apenas quando necessária. Em outras palavras, não se deve encarar a regressão como uma chance de descobrir uma vida passada ilustre ou por mera curiosidade.

Conclusões

As marcas de nascença, sejam físicas ou comportamentais, sinalizam a existência de algum problema ocorrido em vidas passadas e que precisam ser resolvidos.
Os métodos científicos utilizados pelos terapeutas de vidas passadas “sugerem” a reencarnação mas não conseguem prová-la de fato.
A Terapia de Vidas Passadas deve ser procurada quando a pessoa se sente realmente incomodada com alguma marca ou comportamento anormal.
O paciente da Terapia de Vidas Passadas precisa levar a sério e acreditar previamente na reencarnação, caso contrário o seu ceticismo bloqueia e prejudica o tratamento.
Os cursos de Terapia de Vidas Passadas ainda é oficioso, carecendo de regulamentação. Há cursos oferecidos sem necessidade de pré-requisitos e, também, online.
A aplicação da terapia é mais segura quando o terapeuta é assistido pela mediunidade.
A reencarnação como tenta provar a Ciência não é um dogma como o é a “ressurreição”.
Os cientistas sugerem a continuidade da personalidade após a morte enquanto que o Espiritismo considera o perispírito como detentor de informações relevantes para a próxima encarnação.

Algumas celebridades nessa área científica

Dr. Hemendra Nath BANERJEE (1929-1985)
Médico psiquiatra indiano e diretor do Departamento de Parapsicologia da Universidade de Rajasthan (Índia). Pesquisou mais de 3 mil casos sugestivos de reencarnação na Índia e outros países orientais. Livro: “Vida Futura e Pretérita – Um impressionante estudo sobre reencarnação” (1979), onde relata sua experiência de 25 anos neste campo de pesquisa..

Dr. Hernâni Guimarães Andrade (1913-2003)
Engenheiro civil de Araguari-MG.  Em 1963 fundou o Instituto Brasileiro de Pesquisas Psicobiofísicas – IBPP, em São Paulo, com a finalidade de demonstrar cientificamente os fenômenos paranormais, a reencarnação, a obsessão espiritual e transcomunicação instrumental. Entre 1958 e 2002, publicou 18 livros, dentre eles desta-se: Espírito, Perispírito e Alma, Reencarnação no Brasil, e Renasceu por Amor que traz um importante relato que seguiu o rigoroso protocolo de pesquisa do IBPP.

Jim Tucker é diretor médico da Criança e Psiquiatria Clínica da Família, e Professor Associado de Psiquiatria e Ciências Neurocomportamentais na Universidade da Virgínia. Sua pesquisa focaliza crianças que parecem lembrar de vidas passadas e memórias pré-natal e nascimento.
Autor de Vida Antes da Vida: Uma Investigação Científica de, Memórias Crianças de Vidas Passadas, que apresenta um panorama de mais de 40 anos de pesquisa da reencarnação da Divisão de Perceptual Studies.  Tucker, trabalhou durante vários anos na pesquisa com Ian Stevenson até 2002.

Dr. Morris Netherton. Em 1967 desenvolveu o método de Hipnose Ativa denominando “Past Life Terapy”.
Dr. Patrick Drouot. Físico francês, doutorado pela Universidade Columbia de Nova York, autor dos livros Reencarnação e Imortalidade e Nós somos todos imortais.
Dra. Edith Fiore. Norte-americana, doutorada em psicologia na Universidade de Miami, autora dos livros: Você já Viveu Antes e Possessão Espiritual;
Dra. Helen Wambach, psicóloga norte-americana, autora do livro Recordando Vidas Passadas
Dr. Brian Weiss, psiquiatra e neurologista norte-americano, autor de Muitas Vidas, Muitos Mestres, Só o Amor é Real, A Cura através da Terapia de Vidas Passadas e A Divina Sabedoria dos Mestres.
Carol Bowman e a seu livro “Crianças e suas vidas passadas”
Barbara Brennan , Ken Page, John Plowman
Dr. Sérgio Felipe de Oliveira, da USP, usa técnicas de difração de raios X, tomografia computadorizada e ressonância magnética para explicar a relação entre a glândula pineal e a mediunidade.

 

Referências

Revista RIE – July 2012 – Evidências científicas atuais sobre a existência da vida após a morte – Mado Martínez e Elaine Vieira
Wikipédia, a enciclopédia livre
Hugo Lapa – Terapia de Vidas Passadas
Osvaldo Shimoda – Terapia de Vidas Passadas
Eurípedes Kuhl – Entrevista “Genética e Espiritismo” pelo Centro Virtual de Divulgação e Estudo do Espiritismo
Federação Espírita Brasileira – Espiritismo de A a Z
Allan Kardec – Livro dos Espiritos e demais obras básicas
Wikipedia
Marcos de Moura Souza – Reencarnação: Memórias de outras vidas
Birth Marks – http://www.near-death.com/experiences/reincarnation01.html
http://www.esolibris.com/articles/reincarnation/reincarnation_stevenson.php
http://www.near-death.com/experiences/reincarnation01.html

Ian Stevenson – http://www.mediafire.com/download/nj2wzytqjyn/Ian+Stevenson+-+Bambini+che+ricordano+altre+vite.pdf
El nuevo despertar/the new awakening – La prueba cientifica de la reencarnación